domingo, 22 de outubro de 2006

Enquanto aperto novo adversário
E encontro alguém que aparece na minha janela pra jogar gamão,
Lá do outro lado ele ri das minhas besteiras
Do meu choro desmotivadamente imbecil
Da minha falta d’água
Da agonia, da minha unha roída não pintada
Tudo isso ele, meu novo adversário, percebe na carinha que eu mando
Com sorriso amarelo
Olhos vidrados
Cara de gente que não sabe o que faz da vida
E, daí, não faz nada mesmo!

Um comentário:

Lui disse...

Lágrimas... Lagrimas em meus olhos de vidro... Como vai você?

Beijoca