quarta-feira, 14 de junho de 2006

borbulhas, borbulhas, querido

borbulhas enquanto podes borbulhar

só não me venha cheio de juras

juras borbulhantes que só me fazem chorar

2 comentários:

V.P. Siegmann disse...

É interessante o trajeto circular da sabedoria, visto que ir em direção ao mestrado em letras parece ser o mesmo que tomar o rumo de volta ao Batatinha Quando Nasce.

É o tipo de obra intelectual digna dos grandes estudiosos, como Dian Fossey, por exemplo.

:)

Beijos.

marden disse...

bela variação de raymundo fagner.

*estou ensaiando uma rara combinação de pertinência e clareza nos comentários que deixo em blogs. repare não.